Verônica Cobas

23 mai 2015

De que serve a educação que é escrava do conteúdo?

Post por VeronicaCobas às 09:49 em Crônicas, Verônica Cobas

Leiam isto. Quem diz é o psiquiatra chileno Claudio Naranjo, pesquisador dos comportamentos sociais e da educação, professor da Universidade de Berkeley e um dos indicados para o Prêmio Nobel da Paz em 2015. “Temos um sistema que instrui e usa de forma fraudulenta a palavra educação para designar o que é apenas a transmissão de informações. É um programa que rouba a infância e a juventude das pessoas, ocupando-as com um conteúdo pesado, transmitido de maneira catedrática e inadequada. O aluno passa horas ouvindo, inerte, como funciona o intestino de um aninal, como é a flora num local distante e os nomes dos afluentes de um grande rio. É uma aberração ocupar todo o tempo da criança com informações tão distantes dela, enquanto há tanto conteúdo dentro dela que pode ser usado para que ela se desenvolva. Como esse monte de informações pode ser mais importante que o autoconhecimento de cada um?… Leia Mais...

15 mai 2015

Quando fazemos alguém feliz!

Post por VeronicaCobas às 14:04 em Verônica Cobas

A quem você faz feliz? Ou melhor, você é feliz quando faz alguém feliz? Não se preocupe porque a ideia desse texto não é construir um discurso piegas sobre felicidade. Realmente, não acredito que ser feliz é o único objetivo que devemos ter na vida. Não penso que a vida da gente deve se perder tão somente nos meandros da busca pela felicidade. Mas hoje me veio à cabeça esse questionamento: será que não sou feliz de verdade, genuinamente feliz, quando faço alguém feliz?

Não sei se você que me lê pensou assim, mas eu daqui não só fiz a pergunta como imediatamente criei as argumentações que me caracterizam. Mas quando faço alguém feliz e se isso também me traz felicidade, não seria essa felicidade apenas o meu ego inflado pelo poder de fazer alguém feliz? Ok….eu sou cabeçuda mesmo e dentro de mim mora alguém que, às vezes, insiste em esmiuçar tudo, como se tudo precisasse necessariamente ter uma explicação concreta, cartesiana, em duas vias e com firma reconhecida.… Leia Mais...

08 mai 2015

Não tem explicação!

Post por VeronicaCobas às 13:00 em Crônicas, Verônica Cobas

E chegamos, então, às vésperas daquele dia em que a mídia, os restaurantes, as redes sociais, as escolas, a família…o mundo todo decide de forma conjunta tornar santificada a figura da mulher que é mãe. Mas a gente não é santa porque é mãe, nem purificada das falhas e dos equívocos, nem perdoada eternamente porque algum dia gestou e pariu. Eu não me sinto assim, mas também não consegui até hoje encontrar uma explicação que construísse razão para esse oceano de sentimentos múltiplos que as mães carregam em si.

É muito mais que culpa, medo, amor, cuidado. É um negócio além do humano de se achar o único bombeiro para qualquer incêndio, ou o pedreiro 24 horas disponível para cobrir de cimento e argamassa qualquer aresta, qualquer desvio, a mínima rachadura que possa, por ventura, causar estremecimento naquela relação que mães tornaram mágica, irracionalmente mágica, no dia em que o filho veio ao mundo e cruzou, pela primeira vez, o olhar com ela.… Leia Mais...

01 mai 2015

Eu faço listas….muitas listas!

Post por VeronicaCobas às 09:29 em Crônicas, Verônica Cobas

Tenho mania de listas. Sei que não é um atributo só meu. Muita gente da tribo alimenta esse hábito, mania, TOC disfarçado, como se descrever aquilo que se quer fazer fosse a certeza de um compromisso firmado. Acho mesmo que essa ideia de cristalizar um objetivo é componente importante das minhas listas. Como se fosse mais do que uma sequência de coisas para fazer ou para planejar, e sim uma relação de metas descritas em papel para ficar na lembrança, para dirigir o pensamento, para que não perder o foco.

Salvo raras exceções, faço listas daquilo que pretendo realizar a cada dia. Fora os finais de semana, feriados e férias, quando meu espírito libertário abandona metas e vive hedonisticamente do prazer, as agendas diárias são um exercício de respirar fundo para começar bem o dia e de realmente lembrar – porque esquecer coisas é uma parte importante da minha personalidade destrambelhada – o que tenho que fazer.… Leia Mais...

24 abr 2015

Experimente a opção “stand by”!

Post por VeronicaCobas às 08:04 em Crônicas, Verônica Cobas

Stand by. Assim como os aparelhos eletrônicos, como a televisão da sua casa, que você desliga, embora ela se mantenha com a luz vermelha acesa, cada vez mais as pessoas, a ciência, a consciência mundial se aproximam da ideia de que é preciso oferecer um tempo de suas vidas para ficar de stand by.

Algo assim como estar acordada, consciente do mundo a sua volta, mas desconectada da influência, do peso, do cansaço dos pensamentos. Não é à toa que tantas vezes nos percebemos naquele instante “buraco negro”, aquele segundo onde não lembramos do que estávamos falando, como se o computador estivesse travado e não recordássemos mais porque abrimos a porta do armário, o que fomos achar ali. São múltiplas informações e infindáveis respostas que queremos imediatamente, acionando nossa mente, corpo, coração e espírito para lidar com pensamentos de diversas fontes. Afinal, todos sabemos que mora em nós aquele que, diante de um acontecimento ou de uma situação, expõe seu pensamento para alguém da forma como pensa realmente ou, talvez,  adaptado àquilo que imagina ser a forma mais elegante – ou, quem sabe, deselegante – de provocar no outro alguma reação.… Leia Mais...